segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

Entrevista a Diogo Coutinho


Idade - 32

Peso - 103

Altura - 1.88

Títulos - Todos os do GDD,não sei ao certo…devem ser: 6 CN, 2 Taças Ibéricas, 5 Super taças, 4/5 Taças de Portugal, 1 CN Sevens, torneios de sevens e de beach rugby no estrangeiro. Campeonato do Mundo de XV - França 2007 e Hong Kong Sevens


Jogador estrangeiro preferido - Schalk Burger

Jogador português preferido - Miguel Portela

A 1ª Internacionalização - Contra a África do Sul sub-23, não sei o ano

Com que idade entraste no GDD - 9 anos

Quais os treinadores que te marcaram? Mário Silia por ser o primeiro e o Tomaz Morais

Melhor Momento - 1º Campeonato do GDD e o Mundial

Pior Momento - Não ter entrado de inicio com a Escócia no Mundial e não ter jogado a final da ultima época por ter partido o braço.

O Teu Futuro? Sinceramente não sei, pensei em deixar este ano depois de ter partido o braço, mas não tive coragem para o fazer. Neste momento estou a sentir-me bem, portanto vamos ver…

Futuro do GDD? Tenho confiança que o GDD vai continuar a ser o melhor clube em Portugal. Existe um grande espírito de equipa e de vitória de todos os jogadores e sei que esses valores irão ser transmitidos às próximas gerações

11 comentários:

Manuel R. Cabral disse...

Oh rapaz! Excelente curriculo, mas daí a teres todos os títulos que o grandioso GDD tem, vai muita diferença...Alguma modéstia e, sobretudo respeito pelos antigos e pela História do Clube não fazem mal a ninguém.
Fora isso acho que tens razão: O GDD vai continuar a ser o melhor (e o maior!!)clube de Portugal

Anónimo disse...

É verdade, não sei o que o clube ganhou antes de este grupo entrar nos seniores, mas se ganhou alguma coisa, pretendíamos ser esclarecidos.

Anónimo disse...

Uma taça de Portugal(um hibrido) através de um ensaio do mãos de vaca.

Anónimo disse...

elpidio siva no gdd!!!e smp bom termos um pistoleiro!!!bela chapa

Manuel R. Cabral disse...

Habitualmente não falo com quem não sei quem é. O mínimo de educação seria identificares-te, já que eu estou identificado. Mas enfim, como é para o conhecimento da malta do GDD aqui vão algumass informações. São três Taças de Portugal, que nada tem de hibrido, foram ganhas com muito suor, dedicação e grande dose dde qualidade técnica e táctica. Quanto ao mão de vaca, muito respeitinho: talvez não tenha sido um primor de qualidade, mas posso garantir que era um gajo que todos queríamos ter em campo! Nunca o vi quebrar numa formação, hesitar num contacto ou não ter uma palavra de apoio aos companheiros. A primeira em 1976 contra a Académica de Coimbra ganhamos por 16-8 num jogo cheio de porrada desde o primeiro minuto. A segunda em 1981 contra o CDUP, num jogo que terminou antes ddos 80 minutos por causa do calor excessivo que se fazia sentir, ganhamos por 7-0. E a terceira contra o Belenenses em que ganhamos por 16-13.
Aqui fica a equipa:
António Leitão, Pedro Moutinho, Jorge Guerreiro (Bola); Paulo Moura, João Cabral; João Adelino, Olgário Borges, Armando Fernandes; Manuel Cabral, Pedro Cid; João Caetano Nunes, António Póvoas; António Refóios, João Cúcio; António Aguilar.
Aqui fica a memória para que as gerações mais novas tenham respeito pelos que, noutros tempos, ajudaram a construir o grande clube que hoje está nas vossas mãos.

Manuel R. Cabral disse...

Outra coisa: O GDD começou por ser apenas - como todos os outros do seu tempo - apenas de seniores. Em 1963 foi organizado o primeiro campeonato nacional de Juniores, e o Direito apresentou uma equipa. Em 1964 a FPR organizaou o primeiro campeonato de Rugby Juvenil e Direito apresentou uma equipa (que perdeu todos os jogos). Em 1965 Direito apresentou das equipas ao CN, e a primeira equipa foi Campeã Nacional, feito que repetiu em 1966. Depois vieram os infantis, iniciaddos, benjamins...
Uma história rica que deveria estar bem presente na memória dos mais novos. Quem não respeita os seus "antepassados" não pode ser respeitado.

Manuel R. Cabral disse...

Correção: o primeiro Campeonato Nacional de Juvenis - na verdade o primeiro título Nacional da história do GDD - foi na época 1967-68.
Se me inddicrem um e-mail posso mandar algumas fotos: uma da taça de 76 e outra dos juvenis de 67/68

Direito Blog Spot disse...

O Diogo pediu para esclarecer o que quis dizer com "todos os titulos do GDD". Ele referia-se a todos os campeonatos nacionais séniores (6 no Total).

Anónimo disse...

Grande Manel.... A história escreve-se ao longo dos tempos e, evidentemente, não é só feita de títulos. O trabalho, alma e vida que todos, sem excepção, têm dado ao nosso G.D. Direito constituem a essencia deste Clube unico. Conheço o Diogo há muito tempo e tenho a certeza que ele é dos que mais respeito tem pelos que construiram o Clube. A afirmação contida na entrevista, vinda de quem veio, jamais quis desmerecer quer quem que fosse nem tampouco alocar ao próprio as vitórias desportivas do Clube.... Por falar em história e em históricos, dia 26 haverá o jogo de "apresentação" aos sócios, contra a Académica. Pretende-se um dia de festa e de convivencia entre todos os Direitistas. Apareçam em força e aproveitamos todos para trocar experiências vivida no Clube!! Para manter a tradição do nosso espírito!!! Miguel Portela

Manuel R. Cabral disse...

Fico muito satisfeito pelos esclarecimentos do Diogo. Acho que eles coloccam uma pedra sobre este assunto. Mas não posso concordar com a alteração das suas afirmações na entrevista. Com essas alterações os meus comentários deixam de fazer qualquer sentido. Quem os ler agora, vai achar que eu não estou bom da cabeça...
Das duas uma: ou repões as declarações originais ou eliminas os comentários...
Mas sempre te vou dizendo: As palavras ditas, voam. As palavras escritas, ficam!

Manuel R. Cabral disse...

Miguel Portela,
Infelizmente não vou poder estar preente, já que, como deves saber, vivo no Brasil. Quem sabe se um dia destes não apareço por aí...
Fico satisfeito com o que disseste, e nada me move contra o Diogo, que sei tem sido um gajo com o "espírito".
Boa sorte e só desejo que no fim da época o Diogto me possa dizer: "Não são seis, são sete!"
É que, sendo dele, também são nossos!